Recursos administrativos na IN 128/2022 do INSS

Os recursos administrativos são um importante tema no direito previdenciário, pois muitas vezes constituem o meio hábil de impugnação das decisões de indeferimento do INSS.

Assim, a nova instrução normativa, a IN 128/2022, traz diversas disposições sobre as hipóteses de cabimento dos recursos administrativos, bem como um capítulo específico para tanto.

Confira abaixo os recursos existentes, as hipóteses de cabimentos e os prazos para interposição.

 

Quais os recursos existentes?

Dentre os recursos administrativos existentes na nova IN, pode-se citar:

  • O Recurso ordinário;
  • Recurso especial;
  • O Recurso contra a decisão que não acolher a alegação de suspeição suscitada pelo interessado;
  • Recurso que indeferir requerimento de filiação ao RGPS.

Uma novidade na IN 128/2022 é a inexistência de previsão de embargos de declaração (existente anteriormente na IN 77/2015).

De antemão, adianto que nem todos os recursos administrativos tem um nome próprio. 

Ou seja, alguns recursos por terem previsão normativa de forma esparsa nos artigos, podem simplesmente ser denominados como ‘recursos administrativos’ no momento da sua interposição.

 

Hipóteses de cabimento

De antemão, ressalto que NÃO é cabível a interposição de recurso da decisão que promoveu o arquivamento do requerimento, em razão da não apresentação de documento indispensável à sua análise (art. 578, § 2º).

Ademais, não caberá recurso nos casos em que houver encerramento do processo por desistência do interessado (art. 601, parágrafo único). 

Dessa forma, são cabíveis recursos das decisões que:

  • Não acolher a alegação de suspeição (art. 546)
  • Indeferir requerimento de filiação ao RGPS como segurado facultativo (art.148)
  • Concluírem o requerimento administrativo  (art. 576)

Leia também o texto sobre a Justificação Administrativa na nova IN.

 

Prazo para interposição

Conforme art. 580 da nova Instrução Normativa do INSS, o prazo para interposição de recurso administrativo ordinário e especial é de 30 dias.

Nos demais casos, a regra geral também é de 30 dias, com exceção do prazo de 10 dias para recorrer da decisão que não acolher a alegação de suspeição (art. 546, parágrafo único).

Dessa forma, o prazo é contado a partir da intimação da decisão, seja via e-mail, Meu INSS ou INSS Digital.

Assim, os recursos ordinários são interpostos perante as Juntas de Recursos do Conselho de Recursos da Previdência Social – CRPS.

Já o recurso especial tem sua interposição diante das Câmaras de Julgamento do CRPS.

Confira modelos de Recurso Ordinário e Recurso Especial disponíveis no acervo do Prev.

 

Quer se manter informado com as principais notícias no mundo do direito previdenciário? Então, não deixe de acessar o site do Previdenciarista!


Prev Casos

Você é segurado e está nessa situação? Então, acesse o Prev Casos! Clique AQUI e responda um formulário rápido e prático. Em seguida um dos advogados do nosso banco de especialistas vai entrar em contato com você!

Você é ADVOGADO(A)? Então, receba novos casos no conforto de sua casa ou escritório: Clique aqui para conhecer o PREV CASOS 

Diretório de Advogados

Você prefere escolher livremente um advogado de sua região? Então, basta acessar o nosso Diretório de Advogados. Clique AQUI. Assim, você encontra Advogados Previdenciaristas na sua região.

Fonte do artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima