Doenças que aposentam por invalidez INSS: veja quais são

A Previdência Social determina a existência de doenças que aposentam por invalidez, ou seja, enfermidades que tornam o segurado incapaz de retornar ao trabalho. Veja quais são elas, entenda as regras estabelecidas pelo INSS e uma vez que dar ingresso nessa modalidade de aposentadoria.

A aposentadoria é um obséquio guardado a todo trabalhador e tributário da Previdência Social. E, no trajectória da vida profissional, é verosímil que ele não possa mais trabalhar e prover sua família. É nesse ponto que atua a aposentadoria por invalidez.
Quais são as doenças que aposentam por Invalidez?
Não há uma lista de doenças que geram recta à aposentadoria por invalidez. No entanto, o INSS elenca as principais enfermidades. Confira:

1 – Hanseníase
A hanseníase antigamente era chamada de lepra e é causada pela bactéria Mycobacterium leprae. A doença é infectocontagiosa e incapacitante, por isso, o trabalhador deve ser semoto das suas atividades e receber a aposentadoria.

2 – Tuberculose Ativa
A tuberculose ativa também é uma doença infectocontagiosa e é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis.

3 – Desvairo Mental
Distúrbios de ordem mental podem incapacitar o trabalhador para a sua rotina diária, sendo devida a aposentadoria por invalidez.

4 – Esclerose Múltipla
A esclerose múltipla afeta a cognição, coordenação motriz, memória e uma série de outros campos importantes para a interação em sociedade. A doença ataca o sistema nervoso.

5 – Fanatismo
A deficiência visual também compromete a vida profissional e a produtividade e, por essa razão, faz troço das doenças que demandam aposentadoria. O glaucoma é uma das doenças que são porta de ingresso para a deficiência visual definitiva.

6 – Hepatopatia Grave
A hepatopatia grave consiste em uma doença que atinge o fígado de forma a comprometer severamente a saúde do trabalhador.

7 – Cardiopatia Grave
Já a cardiopatia grave é a doença que afeta o coração e que impede que o trabalhador desempenhe suas funções em segurança. Uma vez impedido, ele deve ser preservado e receber o auxílio por invalidez.

8 – Nefropatia Grave
A nefropatia é a doença que ataca os rins. Em sua exigência mais grave, prejudica a qualidade de vida do profissional, que deve ser semoto do trabalho.

9 – Mal de Parkinson
O Mal de Parkinson é responsável por apresentar progressivos prejuízos à coordenação motriz e à postura do tipo.
Sua particularidade mais marcante são as mãos trêmulas, ação involuntária do corpo do paciente atacado pela doença. O Mal de Parkinson é degenerativo, e o trabalhador precisa ser reformado.

10 – AIDS
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) ataca o sistema imunológico do tipo, que se torna predisposto a comprar infecções. Graças à sua sisudez e a exiguidade de trato até o momento, a doença é motivo para a solicitação de aposentadoria por invalidez.

11 – Paralisia
Nesse caso, devemos considerar os tipos de paralisia que são considerados irreversíveis e que incapacitam o tipo para o trabalho e sustento da sua família. Sendo assim, são algumas das condições a paraplegia, triplegia e tetraplegia.

12 – Contaminação por Radiação
Quem tem um trabalho em que incessantemente se vê exposto a radiação pode estar à mercê de uma contaminação.
Uma vez contaminado, o trabalhador deve ser posto em reparo e ser submetido a uma série de exames rigorosos. Constatado o desenvolvimento de doenças, ele deve receber a aposentadoria por invalidez.

13 – Espondiloartrose anquilosante
Problemas de pilastra, em estágio avançado, dão recta à aposentadoria por invalidez, uma vez que é o caso da espondiloartrose anquilosante. Essa doença inflamatória crônica afeta as articulações do esqueleto. Ela mexe não só com a pilastra, mas também com as articulações dos ombros, joelhos, quadris e tórax. Outrossim, nos quadros mais graves, o tipo sofre com lesões nos olhos, nos pulmões e no coração.

14 – Doença de Paget
Com o seguir da idade, aumentam as chances do trabalhador desenvolver a doença de Paget.Esse problema afeta os ossos, tornando-os mais frágeis e até mesmo deformados. É muito universal no fêmur, no crânio, no braço e na pilastra. O tratamento ajuda a pacificar os sintomas, mas doença não tem trato.

15 – Cancro
O cancro, também espargido uma vez que neoplasia maligna, é uma das doenças que aposentam por invalidez. A pessoa desenvolve tumor maligno em alguma troço do corpo, uma vez que pomo,  fígado, pâncreas ou próstata, o que obriga a realização de um intenso tratamento.

A aposentadoria é concedida ao portador de cancro desde que a sua incapacidade permanente para o trabalho seja comprovada. Se ele estiver fazendo tratamento de quimioterapia ou radioterapia, pode racontar com outro obséquio previdenciário, o auxílio-doença.
Há, ainda, outras doenças que podem levar o trabalhador ao seu encolhimento das funções definitivamente e a entrar com o pedido de aposentadoria por invalidez.
Inclusive, aqueles indivíduos que adquiriram problemas de saúde específicos oriundos das tarefas do cotidiano de trabalho podem solicitar uma perícia para fundamentar e pedir a aposentadoria.
Além de tolerar com um problema de saúde que gere incapacidade totalidade ou permanente, o trabalhador também precisa ter pelo menos 12 meses de imposto para ter recta à aposentadoria por invalidez.
Porquê solicitar a aposentadoria por invalidez?
O primeiro passo é ir ao médico e obter um laudo, que descreva com detalhes o problema de saúde incapacitante. Munido desse documento, o segurado deve marcar perícia médica, através do telefone 135 ou pela plataforma Meu INSS.
Para marcar perícia médica online, basta acessar o endereço eletrônico de serviços do INSS,  fazer o login e clicar no item “Agende sua Perícia”. Clique no botão “Agendar novo” para ser redirecionado ao Requerimento de Mercê por Incapacidade.
No envolvente do Dataprev, informe os dados solicitados pelo formulário e escolha a filial mais próxima. Guarde o número do protocolo, pois ele será útil na hora de consultar o resultado do obséquio.
Não existe um requerimento direto de aposentadoria por invalidez. Portanto, primeiro o segurado deve solicitar auxílio doença e comparecer à perícia. Nessa consulta com o médico previdenciário, é fundamental apresentar provas sobre o problema de saúde incapacitante, uma vez que laudos, exames, prontuários de hospital e atestados médicos.
Posteriormente uma avaliação completa, o perito determina se o caso é elegível de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez. Em universal, o segurado só consegue se reformar se o seu caso tiver recuperação impossível.
Se, por ventura, o trabalhador não concordar com a decisão do perito, ele pode recorrer à Junta de Recursos do INSS ou procurar um legista para movimentar uma ação na Justiça.
Porquê é feito o pagamento?
O valor da aposentadoria por invalidez, concedida em caso de doença grave, é de 100% do salário de obséquio. O salário de obséquio, por sua vez, corresponde a 80% das maiores contribuições realizadas a partir de  julho de 1994.
A aposentadoria por invalidez é paga durante o período de incapacidade para trabalho do segurado. Se houver uma recuperação, comprovada pela perícia médica do INSS, o obséquio é encerrado.
Para verificar se o segurado permanece incapaz para a vida laboral, o INSS costuma realizar uma perícia médica a cada dois anos. A convocação para a avaliação médica é feita geralmente por correspondência. Por esse motivo, é fundamental manter o endereço atualizado na base de dados da Previdência Social.
Mal o reformado por invalidez completa 60 anos de idade, ele não é mais convocado para perícias do INSS. Portanto, o seu obséquio finalmente se torna vitalício.
Auxílio doença X Aposentadoria por invalidez
O auxílio-doença é um obséquio previdenciário facultado ao trabalhador que precisa se distanciar da função por motivos de saúde. Esse encolhimento é temporário e requer agendamento de perícia médica.
O pagamento do auxílio-doença é feito aos segurados que permanecem incapazes de trabalhar por 15 dias ou mais. Se o perito de INSS constatar uma restauração, o obséquio é cessado.
Assim uma vez que o auxílio-doença, a aposentadoria por invalidez é um obséquio por incapacidade. A única diferença é que o segurado não pode ser reabilitado para trenar qualquer outra atividade profissional.
Não cabe ao segurado pedir a aposentadoria por invalidez. Ele deve solicitar primeiro o auxílio-doença e participar da avaliação médica. A decisão de conceder esse obséquio é tomada pelo perito do INSS, ao constatar uma incapacidade permanente.
Se o cidadão, reformado por invalidez, continuar exercendo uma atividade remunerada, ele corre o risco de ter o obséquio despegado. Caso tenha dificuldades para realizar atividades do dia-a-dia, ele conta com um suplementar de 25%, que pode ser solicitado em uma das agências do INSS.
Porquê a reforma da previdência afeta a aposentadoria por invalidez?
Caso a Reforma da Previdência seja aprovada, a aposentadoria por invalidez será impactada. O reformado nessa modalidade não vai mais receber o valor integral do salário obséquio e sim 60% da média de todas as suas remunerações ao longo da vida profissional. Portanto, a regra passará a ser mais abrangente, considerando todos os salários pagos e não unicamente os maiores.
De conciliação com a PEC, para receber a aposentadoria por invalidez, o segurado também vai precisar satisfazer um tempo mínimo de contribuições de 20 anos. Quanto mais tempo o ele trabalhar, maior será o valor do seu obséquio. Um profissional que contribui durante 24 anos, por exemplo, recebe 68% da média de todos os salários.
Ainda tem dúvidas sobre as doenças quem aposentam? Deixe um reparo.

Nascente do cláusula

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima