Auxílio Emergencial: Caixa confirma morosidade no pagamento do auxílio

A Caixa Econômica Federalista confirma que atrasou pagamento do auxílio emergencial. Essa asserção se deve posteriormente reclamações de beneficiários do auxílio emergencial pelo morosidade nos depósitos do mercê. Muitos, mesmo aprovados pela Dataprev, ainda não receberam a primeira parcela em 2021.

Enquanto isso, o Dataprev afirma que as parcelas estão sendo depositadas, através do Caixa Tem, nas contas poupanças sociais digitais.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Edificio sede da Caixa Econômica Federalista. (Foto: Marcelo Camargo/Filial Brasil)

A CEF informou sobre a possibilidade de os beneficiários nascidos entre janeiro a agosto receberem as parcelas atrasadas nesta quarta-feira (26).

Embora tenha recebido o morosidade, o banco não informou os motivos, nem mesmo a informação contraria ao Dataprev. A Caixa também não fez nenhum justificação sobre a existência de um conduto de atendimento responsável por indagar a situação dos beneficiários afetados pelo morosidade.

Quem foi afetado pelo morosidade na Caixa

Os que foram prejudicados são justamente os que contestaram a negativa do auxílio emergencial em 2021, ou que tiveram que entrar com um processo judicial para receber o mercê em 2020.

Numa entrevista ao Portal UOL, um beneficiário informou que está desempregado. E que precisou recorrer à Defensoria Pública da União (DPU) para receber o auxílio emergencial em 2020, posteriormente ter o cadastro inicial recusado.

O beneficiário consta uma vez que revalidado no site da Dataprev para o auxílio emergencial de 2021. Tendo em vista que ele é um aniversariante do mês de agosto, segundo o calendário de pagamentos, a primeira parcela no valor de R$ 150 deveria ter sido depositada no dia 22 de abril e a segunda na terça-feira (25).

Porém, nenhuma parcela ainda foi depositada no Caixa Tem até o momento desta publicação. Não há nenhuma previsão de quando os depósitos acontecerão.

Conforme publicado pelo UOL, um morador de Minas Gerais, passa pelo mesmo problema com os atrasos, e também precisou entrar com um processo na Justiça no ano pretérito para asseverar o recta ao mercê.

Só depois do parecer judicial, que ele conseguiu finalmente receber às cinco parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial, em novembro do ano pretérito.

Entretanto, o mineiro, que faz natalício em junho, ainda não recebeu às duas parcelas de R$ 250 do auxílio emergencial 2021, a qual tem recta, e deveria ter sido depositadas nos dias 18 de abril e 22 de maio no Caixa Tem. O Dataprev também confirmou que ele tem recta ao auxílio emergencial deste ano.

Estes são exclusivamente alguns dos inúmeros problemas que têm sido relatados nas redes sociais. E para quem está reclamando, espera uma posição do banco e da Dataprev sobre o tema. E esperar os depósitos serem realizados no Caixa Tem.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil

Veja o Treta dos Famosos e fique atualizado de notícias dos famosos

Manadeira do Cláusula

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
1